Entrevista exclusiva com o campeão mundial Enderson Dias do Dream Art


Publicado em 21/09/2020 por: Marcelo Melo



Irmãos de sucesso no Jiu Jitsu, já tivemos irmãos Mendes, irmãos Miyao e agora será que os próximos irmãos de sucesso na arte suave serão os irmãos Dias (Enderson e Larissa)?
Pelos títulos que já conquistaram há grandes probabilidades que serão, acreditando nisso a Revista Omoplata traz essa semana uma entrevista exclusiva com a dupla que hoje treina no Dream Art em São Paulo.


A entrevista foi dividida em duas partes, hoje na parte 2 vamos saber como foi a conversa com o faixa marrom Enderson Dias.


Confira a entrevista:


Omoplata: Como o Jiu Jitsu entrou na vida de vocês? E quando começou a treinar?

Enderson: : Então iniciamos em 2015. Começamos a treinar Jiu Jitsu por hobby, fui convidado por um amigo que me incentivou muito.


Omoplata: E quais foram as dificuldades a serem superadas para estarem hoje onde estão? Teve alguma resistência por parte familiar ou outra que seja?

Enderson: Tive muitas dificuldades pois sabemos que não é fácil viver do Jiu Jitsu no Brasil, principalmente por falta de apoio financeiro. Mas graças a Deus meu pai e minha mãe foram fundamentais para que eu pudesse chegar onde estou, mesmo com todas as dificuldades financeira fizeram de tudo para que pudéssemos continuar a lutar pelos nossos sonhos e não desistir.


Omoplata: Quais os títulos principais já conseguidos na carreira de vocês? E qual o mais especial e por que?

Enderson: Campeão Mundial IBJJF
Campeão Europeu IBJJF
Campeão Brasileiro CBJJ


Omoplata: Vocês saíram de uma equipe para outra, acredito que para buscar algo maior para a carreira de vocês. Porém muitas pessoas ainda são presas ao pensamento da fidelidade e lealdade ao primeiro mestre, acreditam que devem seguir com ele até o final. O que vocês pensam sobre esse pensamento?

Enderson: Penso que devemos sempre ser gratos pelas pessoas, mas sabemos que para o crescimento do profissionalismo no esporte, as equipes devem sempre apoiar os atletas e os valorizar de verdade, tenho total certeza que para mim foi um divisor de águas na minha carreira. O Dream Art Project valoriza os seus atletas e dá o melhor suporte, coisa que nenhuma equipe proporciona no Brasil e no mundo para atletas que buscam viver como profissionais do Jiu Jitsu.


Omoplata: Quais os principais motivos para uma mudança de equipe? Professores de melhor qualidade, companheiros de treino com melhores qualidades e mesmo objetivos, novas portas de oportunidade, ou um pouco de tudo isso?

Enderson: Com certeza o suporte. O que o Dream Art Project proporciona para seus atletas está mudando o nosso esporte para melhor; Temos faculdade paga pelo projeto, alimentação,curso de inglês , fisioterapia, todos os custos e passagens pagas para os principais campeonatos do circuito IBJJF e UAEJJF.


Omoplata: Tem muitas pessoas que assistem futebol e nunca praticaram futebol, o MMA também tem um grande público e muitos nunca praticaram lutas. Com o Jiu JItsu isso não ocorre, a maioria das pessoas que assistem Jiu Jitsu são pelo menos praticantes ou já praticaram. Por que isso ocorre e o que precisa para mudar isso?

Enderson: Então, justamente o profissionalismo do esporte atrai visibilidade, o nosso esporte está em uma crescente, com certeza o Dream Art é um espelho para a nova era do Jiu Jitsu, com o Suporte aos atletas tudo fica mais fácil, a chegada de patrocinadores se torna mais rápida e com isso o esporte com certeza tem a probabilidade de ser valorizado como os esportes olímpicos.


Omoplata: Vocês dois já tiveram experiências internacionais, como o público olha o Jiu Jitsu fora do Brasil?

Enderson: Sim, o Jiu Jitsu fora do Brasil é visto como um esporte de verdade, diferente do Brasil que o atleta e desvalorizado muitas das vezes e não tem seu reconhecimento. Infelizmente para que o esporte venha crescer, as grandes competições devem acontecer sempre no exterior, pois as pessoas e eventos valorizam de verdade o nosso esporte.


Omoplata: Qual o nível dos gringos comparado aos brasileiros?

Enderson: Creio que estão em uma crescente, pois estão tomando o espaço.Já vemos isso na faixa preta, não se via por exemplo campeões mundial americanos, hoje eles estão escrevendo seus nomes na história e ganhando espaço a cada dia no esporte.


Omoplata: Muitas pessoas não conseguem manter a calma em competições. Tem como manter a calma em competições? Se sim, o que é necessário para conseguir?

Enderson: Sim, o primeiro passo, essa é minha opinião, eu creio que pode agregar muito sempre buscar competir bastante, isso é essencial para que você possa se acostumar com aquele ambiente, com aquela adrenalina, com a pressão proporcionada pelas competições e com o tempo você irá se sentindo adaptado ao ambiente das competições.


Omoplata: Quais as metas de vocês, motivações, pelo o que vocês lutam?

Enderson: Eu luto em primeiro lugar para que as pessoas possam ver o brilho de Cristo em minha vida, essa é a maior mensagem que sempre irei passar através do meu Jiu Jitsu. E também pela minha família, para poder proporcionar o melhor para eles.


Omoplata: Muito obrigado pela participação e muito sucesso na carreira. Com certeza vamos ouvir falar muito de vocês!

Enderson: Oss, foi uma honra muito obrigado.


Conheça a campeã mundial Larissa Dias do Dream Art


Como é viver de Jiu Jitsu fora do Brasil?


A importância de saber regras